Gabrielle Mc Comb fala sobre participação no Mundial: “Deixei meu coração no tatame”

Manauara teve primeira experiência em Mundiais como faixa-preta

Uma das maiores promessas do Brasil quando o assunto é Jiu-Jitsu, Gabrielle Mc Comb participou no início do mês do seu primeiro Campeonato Mundial como faixa-preta. Campeã do torneio da IBJJF como faixa-roxa e faixa-azul, além de já ter faturado o No Gi como marrom, Gabrielle foi graduada a faixa-preta por Letícia Ribeiro e Fabrício “Morango” Camões no ano passado. Bronze em sua primeira participação como preta no evento, Gabrielle analisou sua participação no torneio:

— Como todos os anos treinei bastante, me empenhei muito pra que tudo desse certo e estava me sentindo bem, mas não foi dessa vez. A adrenalina do primeiro mundial na faixa-preta é grande, mas foi uma experiência boa. Tudo está só começando e tenho as melhores pessoas ao meu redor pra me ajudar a alcançar meu objetivo.

Dentre as recentes conquistas de Gabrielle Mc Comb é válido destacar o ouro do San Diego Spring, e do Denver Open. Natural da cidade de Manaus, Amazonas, a lutadora reside atualmente nos Estados Unidos onde treina na Gracie Humaitá. Ao falar sobre o que acha que faltou para ter alcançado um resultado ainda melhor na Pirâmide de Long Beach, Gabrielle garantiu que deu o seu melhor, e que melhores resultados virão nas próximas edições do evento:

— Acho que na questão dos treinos e na preparação não faltou nada, treinei muito, dei meu melhor e deixei meu coração no tatame. Então acho que não faltou nada, só não foi a minha vez.

Campeão do Pan em quatro oportunidades (2015, 2016, 2017 e 2018), Gabrielle possuí apenas 22 anos e um futuro brilhante pela frente na arte suave. A manauara é praticamente imbatível quando o assunto é Pan-Americano, ostentando o pentacampeonato do torneio em diferentes faixas. Fazendo um comparativo entre o torneio continental e mundial, a lutadora explicou porque seus resultados costumam ser melhores no Pan:

— O Pan também é uma competição muito difícil e ter ganho ele foi muito bom, normalmente no Pan tenho uma performance melhor. Foi um dos campeonatos que consegui ganhar em todas faixas, então foi especial pra mim ter ganho na faixa-preta também. O mundial ainda me traz um friozinho na barriga maior, mas cada vez ganho mais experiência, vou melhorar!

A lutadora está mantendo o ritmo forte nas competições, entre as próximas metas da lutadora estão o American Nationals, e o Las Vegas Open.


Crédito foto: Arquivo pessoal / Gabrielle Mc Comb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *